ENTREVISTA: Jornalista Michelle Barros

 Formada em jornalismo pela Universidade Federal de Alagoas em 2001, ela começou a carreira como estagiária na TV Alagoas  quando ainda era BAND. Também estagiou na TV Educativa de Alagoas onde trabalhou na produção, edição, reportagem e apresentação. No jornalismo impresso fez estágio em "O Jornal". Também participou de programas de rádio e foi locutora na Rádio Educativa FM. Em 2002 foi contratada pela TV Pajuçara que era afliada do SBT, onde atuou como repórter e apresentadora. Em Setembro de 2003 chegou a TV Gazeta para apresentar e editar o ALTV. Atualmente ela é repórter da Globo São Paulo e sempre emplaca matérias no Bom Dia Brasil, Jornal da Globo e Fantástico. 





Câmera Notícia - Como começou atuar profissionalmente como jornalista?

Michelle Barros - Comecei estagiando ainda no segundo ano de faculdade e já em televisão – apesar de ter começado a cursar jornalismo pensando em trabalhar em revista...
Passei por impresso e rádio também.
Aí acabei sendo contratada pela TV Educativa de AL.
E assim segui a carreira.

Entrevista banda Time Machine com Michelle Barros







Câmera Notícia - Como foi pra você emplacar uma matéria em rede nacional? 

Michelle Barros - Sendo extremamente sincera não me lembro da primeira matéria que fiz e que entrou em rede nacional.
Lembro de algumas matérias que, para mim, foram mais significativas.
Mas, claro, é muito importante emplacar um VT de um estado pequeno como Alagoas num jornal de rede, que tem pouco tempo para dar muitas histórias do Brasil e do mundo inteiros...

Câmera Notícia - Os estudantes de jornalismo da UFAL, enfrentam diversas dificuldades em relação a falta de ensino prático da nossa profissão. Existe um sufocamento com teorias, sem falar na falta de oportunidades para estágios. Você que já foi jornalista atuante em Alagoas, e que conseguiu oportunidade em uma das maiores emissoras do Brasil, quais os conselhos que você deixa para driblarmos todas estas dificuldades?

Michelle Barros - Leiam jornal, revista – inclusive as internacionais: The Economist, New York Times, Financial Times...
Leiam livros também! Muitos! O texto ganha em qualidade conforme aumentamos nosso vocabulário;
Ouçam rádio – ajuda a treinar os ouvidos para os improvisos essenciais na carreira;
E assistam a TV! Telejornais são fundamentais, mas é preciso ver muito documentário e as redes internacionais também.
E cinema é imprescindível! Nos faz enxergarmos novas formas de narrativa, de roteiro.
Enfim, encontrem um profissional jornalista que vocês admirem, prestem atenção ao conteúdo que ele produz e como ele faz para conseguir isso.
E sigam lendo, ouvindo e assistindo.
O resto é networking.
E nunca tenham medo de arriscar e se oferecer pra fazer algo.
Jornalista é ousado.
Sempre.  


Câmera Notícia - Quais as principais dificuldades encontradas por você na TV Gazeta de Alagoas ou no estado alagoano para a projeção nacional?

Michelle Barros - Alagoas tem muitos assuntos de interesse local ou regional.
Mas poucos de relevância nacional capazes de disputar com os acontecimentos de estados maiores e os mundiais.
O telejornal diário tem pouco tempo para mostrar tudo. Por isso é difícil ganhar um minuto em rede nacional.
E o material tem que estar muito bem produzido também em termos de captação: luz, áudio, imagens...
Acho que o grande problema foi e é essa disputa com estados grandes. Mais do que qualquer coisa.



Câmera Notícia - Michelle qual foi a maior dificuldade que você enfrentou ao chegar em São Paulo?



Michelle Barros - Não tive grandes dificuldades porque já vim contratada.
Quem vem de um estado pequeno sem  trabalho e sem contatos enfrenta problemas mesmo.

Câmera Notícia - Durante suas apresentações do ALTV você passava uma confiança para quem estava do outro lado da tela. Você adotou pelo menos eu observei uma postura mais séria e transmitia credibilidade. Teve inspiração em alguma jornalista?

Michelle Barros - Sempre me inspirei na Fátima Bernardes e na Ana Paula Padrão.
Nas reportagens, Marcelo Canellas, Ernesto Paglia, Neide Duarte e Régis Rosing.


Ana Paula Padrão Jornal da Record


Fátima Bernardes Jornal Nacional 
                                            

Michelle Barros ALTV 1ºEdição









Câmera Notícia - Alagoas, do que sente mais saudade?
Michelle Barros - 
Da família.
Dos amigos.
De andar pela orla à noite.
Da água de coco.
Da tapioca.
Do sorvete de graviola.
De almoçar na lagoa.


Câmera Notícia - Ano passado durante o show da banda inglesa U2 você fazia uma reportagem ao vivo direto do estádio do Morumbi em São Paulo para o Jornal da Globo. Um link ao vivo e em rede nacional. Durante a reportagem você foi interrompida algumas vezes pelos fãs que saiam do estádio.  Na sua visão, como um repórter deve se comportar diante desses imprevistos?

Michelle Barros - Com naturalidade – pelo menos tento fazer isso sempre.
Entradas ao vivo são incógnitas.
Tudo pode acontecer.
Fato.
Ignorar é agir como boneco de cera.  

Jornalista é interrompida em link ao vivo

Câmera Notícia - Em todas as entrevistas com jornalistas eu pergunto a opinião dele sobre o fim da obrigatoriedade do diploma determinado pelo STF em 2009. Michelle, sabemos que as grandes empresas preferem os diplomados. Como você avalia essa decisão do STF?

Michelle Barros - O diploma representa que você estudou, dedicou tempo e quer mesmo fazer aquilo.
Acho importante sim.
Mas o bom jornalista se forma com tudo aquilo que já citei nessa entrevista: leitura, audição e visão – com atenção, interesse e questionamento.


Câmera Notícia - Quais matérias você mais gosta de fazer?

Michelle Barros - As de comportamento.
Temas mais leves.
Com o povo junto.
Pra ouvir e brincar com as histórias.

Câmera Notícia - Qual o medo que você tem de cometer no jornalismo?

Michelle Barros - Errar informações.
Dar os dados corretos é obrigação do jornalista.
A forma como fazê-lo é o que diferencia os bons, dos mais ou menos, dos ruins...


Câmera Notícia - Muitos jovens escolhem o curso de jornalismo almejando fama, dinheiro e “glamour”, acho que essa pergunta cabe muito bem a você por ser da terra e ter passado por vários veículos até chegar à cabeça da rede.  Existe “glamour” no jornalismo? E na sua visão o que se deve ter em mente ou buscar ao entrar na graduação de jornalismo?

Michelle Barros - Hoje estou trabalhando no meu dia de folga.
Meu filho está em casa sozinho.
Ontem trabalhei 13 horas.
Às vezes, dormimos pouco, comemos mal e sem horário, balançamos por horas num carro de reportagem - ou temos que andar muito -, levamos porta na cara, ameaça de bandido, pedrada em manifestações...
A gente sua, se descabela, a maquiagem derrete e a gente tem que andar cheia de coisa pra dar uma recauchutada antes de gravar pra não parecer muito bagunçada – isso não é glamour! Isso é amor ao trabalho! Os que estão aqui amam o que fazem. Ponto.


Câmera Notícia - Você é considerada uma referencia para muitos estudantes de jornalismo de Alagoas, que mensagem você deixa para eles?

Michelle Barros - Leiam. Leiam. Leiam.
E escrevam em dobro.



Câmera Notícia - Quais são as suas perspectiva na profissão?

Michelle Barros - De crescimento – sempre.
E deve ser assim em qualquer profissão.


RESPOSTAS RÁPIDAS

Jornalismo - paixão

Alagoas - casa

TV Gazeta – escola

Rede Social – sou devagar...

Eu detesto – fome

Eu curto – ouvir a risada das pessoas

Michelle barros por Michelle barros - imperfeita

OBRIGADAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
SUCESSO A VOCÊS!

____________________________________________________________________________
Colaboração: Roberison Xavier, Milena Andrade, Victor Costa e blog elasnatv.blogspot.com.br
Produção: Marcos Cavalcante
Realização: Câmera Notícia

13 comentários:

  1. Um dia me caso com uma mulher assim! GRANDIOSA !
    Bjs.
    Danilo de Matos Lopes

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ver seu crescimento profissional! Muita luz e sucesso! Alagoas tem orgulho de você, menina! Bjo grande!
    Nanda

    ResponderExcluir
  3. Essa mulher é lindíssima, simpaticíssima e sensualíssima. Sou doido nela

    ResponderExcluir
  4. Nossa...muito orgulho...que profissional.

    ResponderExcluir
  5. Sou seu fã, sou apaixonado por ela, profissional competente, inteligente e linda . Parabéns Globo por brindar-nos com as reportagens desta mulher" Maravilha" .

    ResponderExcluir
  6. vc e super profissional, inteligentissima, elegante,super-gata. e me desculpe sou muito timido mas muito sincero, sou muito a fim de te conhecer, para mim vc e a mulher mais linda q ja vi em minha vida, amo qdo vc aparece no video, podemos nos falar, por favor(11-20484142). bjs carinhosos p vc e cada vez mais sucesso bjs deusa da beleza. por favor me liga

    ResponderExcluir
  7. Jornalista muito competente, ótima locução, uma voz muito potente um exemplo para qualquer
    estudante de jornalismo, seu histórico profissional notável passou por grandes redes de comunicação e só poderia ir para na Globo isso já eh o reconhecimento de seu esforco, parabéns

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela sua história de vida.Linda e muito charmosa em suas falas.

    ResponderExcluir
  9. Você é linda.Adoro ouvir a sua voz e testemunhar a alegria e espontaneidade com as quais faz seu trabalho é um privilégio.

    ResponderExcluir
  10. Michelle você é uma reporte muito talentosa admiro muito seu trabalho, também sou de Alagoas e pretendo me forma em jornalismo me inspiro muito em você.

    ResponderExcluir

Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Serão suprimidos todo e qualquer comentário com teor preconceituoso.