Brasileiro vai comprar 'cervejinha' e torcer pela seleção na Copa, diz Dilma

Dilma Rousseff durante cerimônia de entrega de máquinas em Poços de Caldas (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (30) que o povo brasileiro vai reunir a família, os amigos, comprar uma "cervejinha" e torcer pela seleção brasileira durante a Copa do Mundo, que começa no dia 12 de junho.
Dilma participou de cerimônia de entrega de entrega de máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em Poços de Caldas (MG).
"Queria dizer para vocês que eu tenho absoluta certeza que o nosso povo fazer como sempre fez, vai juntar os amigos, vai juntar a família, vai juntar a comunidade, comprar uma cervejinha, ligar a televisão e assistir à Copa torcendo para nossa seleção", disse a presidente ao fim do discurso, alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).
Ao falar sobre a Copa, a presidente afirmou que os brasileiros sempre gostaram, se divertiram e torceram pela seleção na maior competição de seleções do mundo. Dilma voltou a afirmar que o país receberá milhões de turistas de outros países e que, assim como os brasileiros foram bem recebidos fora, os visitantes serão bem-vindos no Brasil.
"Nós somos um país de gente generosa, alegre, calorosa, gentil. É isso que nós somos. E nós vamos mostrar isso para as pessoas. Pensem comigo, ninguém que visita o Brasil sai daqui e volta para seu país com estádio na mala, com aeroporto, com obras de mobilidade urbana, como o BRT e os metrôs, não", disse.
"Sabem o que eles podem levar? A gratidão pela forma com que foram tratados no Brasil. É isso que eles levam e vão levar na mala. O resto, fica para nós. O resto fica aqui nesse país e para beneficiar esse povo", concluiu.
Do lado de fora do evento com Dilma, grupo de professores protestou contra o governo petista (Foto: Samantha Lima/G1)Do lado de fora do evento com Dilma, grupo de professores protestou contra o governo petista (Foto: Samantha Silva/G1)

Na maior parte do discurso, Dilma repetiu a defesa de programas sociais do governo federal, destacando números do Pronatec, Bolsa Família e Mais Médicos. Se dirigindo a prefeitos, disse que dos 1.220 médicos demandados pelo estado, 1.157 já estão atendendo a população em mais de 400 municípios.

"São 4 milhões e 100 mil de mineiras e mineiros que vão ter uma cobertura melhor. A notícia para os prefeitos é que quem paga esses médicos é o governo federal", disse.

Do lado de fora do centro de eventos que recepcionou a cerimônia, um grupo com cerca de 30 pessoas protestou contra Dilma e o PT. A maioria deles era formada por professores em greve do Instituto Federal de Poços de Caldas, escola mantida pelo governo federal com cursos do Pronatec. Eles queriam uma reunião com a presidente, mas ela não chegou a passar por eles e não comentou a manifestação durante o discurso.
G1

0 comentários:

Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Serão suprimidos todo e qualquer comentário com teor preconceituoso.