Governo só negocia se PMs voltarem ao trabalho, afirma Casa Civil de PE

O governo de Pernambuco não vai continuar a negociação com os PMs que paralisaram as atividades, a menos que eles retomem o serviço. A declaração foi dada pelo secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez, no começo da tarde desta quinta-feira (15). "A partir do momento em que o Tribunal de Justiça decretou a ilegalidade, o governo não pode abrir canal nenhum de negociação, a não ser pelo encerramento desse movimento", afirmou.
Os representantes dos PMs já foram informados da nova posição do governo e vão repassar a informação aos policiais e bombeiros. "Acredito que, com a chegada do ministro [da Justiça, José Eduardo Cardozo, que chega ao Recife à tarde], ele vai ajudar nessa mediação. Esperamos que, assim, a mesa de negociação seja reaberta", diz Joel Maurino, representante dos policiais militares.
Entenda a paralisação
Uma comissão independente de PMs iniciou a paralisação na noite de terça (13) e decidiu manter a mobilização na noite de quarta (14), após reunião com líderes do governo e representantes da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Nem o governo do estado nem o movimento grevista precisaram quantos PMs aderiram à paralisação.

Liderança do movimento discursa em cima de trio elétrico, caminhada de PMs grevistas que vai do Quartel do Derby até o Palácio do Campo das Princesas. (Foto: Vitor Tavares / G1)Liderança do movimento discursa em cima de trio elétrico, caminhada de PMs grevistas que vai do Quartel do Derby até o Palácio do Campo das Princesas. (Foto: Vitor Tavares / G1)
Um dos representantes dos PMs, soldado Joel Maurino, afirmou que a paralisação foi mantida porque não foi fechado acordo quanto ao aumento de 50% no salário-base, uma das reivindicações da categoria. O grupo envolvido na mobilização também pleiteia, entre outros pontos, aumento do vale-refeição e estruturação do Plano de Cargos e Carreiras (PCC) da corporação.
O secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez, informou que os PMs terão reajuste de 14,55% no contracheque de junho, equivalente à quarta parcela acordada em acerto entre governo e categoria, há quatro anos. O primeiro aumento foi em 2011, de 14%; a segunda e a terceira parcelas foram de 10%, em 2012 e 2013. Os reajustes foram concedidos sempre no mês de junho de cada ano.
O governador de Pernambuco, João Lyra Neto (PSB), solicitou na quarta-feira (14) a ajuda dos homens da Força Nacional de Segurança Pública e do Exército para substituir os PMs grevistas. As tropas começaram a desembarcar na madrugada desta quinta (15) e já estão nas ruas fazendo policiamento ostensivo. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, virá ao estado nesta quinta, acompanhado de um general designado para comandar as ações das Forças Armadas.

0 comentários:

Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Serão suprimidos todo e qualquer comentário com teor preconceituoso.