Rio Largo passa Palmeira dos Índios e é, agora, a 3ª maior cidade de Alagoas

A pesquisa de estimativa de população 2014 divulgada na última quinta-feira,28, pelo IBGE, traça um novo perfil demográfico de Alagoas e de seus municípios.
Maceió, por exemplo, cresce acima da média e ultrapassou pela primeira vez a marca de 1 milhão de habitantes.
Outro dado impressionante é o número de cidades alagoanas que estagnaram ou que  simplesmente estão encolhendo.
Levantamento feito a partir da estimativa de população de 1º de julho mostra que 26 das 102 cidades de Alagoas diminuíram suas populações.
 Satuba, o maior tombo
A estimativa mostra que Satuba liderou o ranking nacional dos municípios com a maior redução, proporcionalmente, no número de habitantes entre 2013 e 2014. A população da cidade que era de 15.737 habitantes caiu para 13.241, redução de -15,86%.
A redução é decorrente também da perda de território (conjunto Margarida Procópio) para o município vizinho, Rio Largo.
Palmeira dos Índios perde posto de 3ª maior cidade de Alagoas
Rio Largo foi a cidade que registrou maior crescimento em Alagoas: 4,78% entre 2013 e 2014, saltando de 71.834 para 75.267 habitantes. Em relação ao censo de 2010, quando a população era de 68.481 pessoas, a variação foi de 6.786 habitantes ou 9,91%.
Com o resultado, Rio Largo se torna a terceira maior cidade de Alagoas, desbancando Palmeira dos Índios, cuja população, segundo o IBGE, é de 73.725 habitantes.
É um resultado que não chega a causar surpresa.  Essa é a primeira vez, em décadas e décadas, que a “princesa do sertão” perde o posto de terceira cidade mais populosa de Alagoas.
Estagnada economicamente e sofrendo com gestões municipais pouco eficazes, Palmeira dos Índios parece ter perdido a “janela” do crescimento que consolidou Arapiraca como segundo maior centro de desenvolvimento de Alagoas.
Nos anos 60 Arapiraca e Palmeira dos Índios “disputavam” a liderança regional.  Na década de 80 a população de Arapiraca, de 136.178 habitantes, já era o dobro da de Palmeira dos Índios (66.930). Em 34 anos, a população de Arapiraca aumentou de 136 mil para 229 mil habitantes, um salto de 68%. Em igual período – entre 1980 e 2014 – a população  de Palmeira dos Índios cresceu de 66,9 mil para 73,7 mil, um “pulinho” de 15,5%.
Apesar de toda a sua tradição, Palmeira dos Índios não consegue acompanhar o crescimento do Estado, nem do Brasil. A cidade carece de iniciativas capazes de reverter esse quadro – do contrário vai perder cada vez mais importância política e econômica no estado.

Fonte: gazetaweb

0 comentários:

Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Serão suprimidos todo e qualquer comentário com teor preconceituoso.